top of page

Dificuldade em expressar emoções

Existem pessoas que facilmente conseguem chorar, e outras que até querem chorar, mas não conseguem. Aquelas que choram muito facilmente, gostariam de não chorar tanto, e as que não choram, gostariam de o conseguir expressar. Aquelas que facilmente demonstram tristeza, tem dificuldade em mostrar a raiva que sentem ou a sua parte mais agressiva, e aquelas que estão constantemente irritadas, têm dificuldade em mostrar a dor e tristeza.


Somos muito diferentes, mas quanto mais aprofundamos, mais descobrirmos que somos realmente muito semelhantes. O que acontece é que aquilo que aprendemos a reprimir não é igual para todos nós.


Qual destes traços de caráter sentes que é mais verdadeiro em ti:


  • Tenho dificuldade em afirmar-me e dizer o que penso, mas consigo ficar no meu canto e por vezes até me isolo porque absorvo muito a energia dos outros

  • Estou constantemente irritado, e quando assim é, expresso essa irritação para os outros, mas tenho dificuldade em sentir tristeza ou dor (ou até mesmo em chorar)

  • Estou muitas vezes agitado ou ansioso e tenho muita dificuldade em parar. Preciso estar constantemente ocupado com qualquer coisa

  • Estou constantemente a chorar. Qualquer coisa faz-me chorar

  • Não consigo dizer que não e acabo por fazer o que os outros gostam

  • Preciso estar sempre ativo. Parar é morrer


Não existem uns melhores que outros. Tudo isto que mencionei são apenas sintomas e que mostram como a nossa personalidade se foi formando. Mas, para entender a dificuldade em expressar emoções, é importante começarmos por tomar consciência dos nossos padrões mais habituais e familiares.


Conheço pessoas que facilmente choram por tudo e por nada e outras que querem desesperadamente chorar. Outras que escondem a dor que sentem, por isso mostram apenas raiva ou irritação, enquanto outras escondem a raiva e mostram serem boas pessoas.


O que quero dizer com isto é que, aprendemos a esconder certas emoções e partes de nós por considerarmos que não são aceites ou são erradas. Mas, já o fazemos há tanto tempo que se tornou um padrão habitual em nós. Faz o seguinte teste:


Se fores uma pessoa que tem dificuldade em dar a sua opinião, ou dizer que não, ou que tem dificuldade em "levantar a sua voz", imagina que estás a fazê-lo, por exemplo, a uma pessoa que é muito próxima de ti. Pode ser o Pai, a Mãe, Irmão, Filho, o chefe, ou outra pessoa. Imagina que estás a levantar a tua voz e a dizeres o que realmente queres ou pensas a essa pessoa. Como reage o teu corpo a essa possibilidade? Sente medo, vergonha, culpa. Que sensações acontecem no teu corpo?


Se, por outro lado, fores alguém que se irrita com facilidade e demonstra facilmente isso para os outros, escolhe alguém que te é próximo e imagina-te a dizeres a essa pessoa o quanto te sentes triste ou magoado com o que aquela pessoa disse ou fez. Como é que isso te faz sentir? Vergonha, medo, vulnerável? O que sentes?


Aquilo que sentes é o que te habituaste a esconder para ninguém ver


O importante a reter é o seguinte: temos dificuldade em expressar certas emoções, porque o nosso corpo automaticamente bloqueia a sua expressão por acreditar que é perigoso demonstrá-las ou expressá-las. Em algum momento aprendemos isso, por isso a solução foi escondê-las e não mais voltar a mostrá-las.


Acontece que, essas emoções não expressas e reprimidas, são responsáveis por muitos dos sintomas que sentimos como ansiedade, estados depressivos, sentimentos de solidão, dores crónicas, entre outros. Essa energia que tem estado bloqueada, quer expressar-se naturalmente, só que não estamos a deixar que isso aconteça. Não que o estejamos a fazer propositadamente, mas estamos a fazê-lo automaticamente.


Nas sessões de Life Coaching que realizo com os meus clientes, o primeiro passo é sempre começar por reconhecer esses sentimentos e emoções escondidas, pois como mencionei, essa energia bloqueada acaba por controlar a nossa vida. Reconhecer não é um processo intelectual.


Reconhecer significa, saber e sentir que esses sentimentos lá estão


Se, por exemplo, um cliente tem dificuldade em tomar decisões ou dizer que não, ou falar a sua verdade, é porque existe muita energia a que nós chamamos raiva, que ficou bloqueada. Na prática, sempre que esta pessoa quer dizer que não, ou tomar uma decisão na sua vida, acaba por sentir-se bloqueada ou paralisada. Talvez seja uma pessoa mais passiva e com pouca energia, ou com energia dispersada para muitos sítios.

Pode até ter às vezes ataques de raiva, ou simplesmente estar desligada emocionalmente.


Normalmente, a pessoa não consegue reconhecer esta energia bloqueada facilmente, e até pode ser vista pelos outros como uma pessoa calma e simpática. Mas, se for muito honesta com ela mesmo, a pessoa sabe que está a sofrer e que de alguma forma não está a mostrar algo.


Se o primeiro passo é começar por reconhecer, é necessário de seguida, começar a dar permissão para que essa energia bloqueada seja vista e expressa. E para isso, o corpo necessita sentir a segurança suficiente para que essa energia possa seguir o seu caminho natural. Por outras palavras, é necessário ajudar o corpo a sair de um estado de medo e paralisação em sentir determinado sentimento ou emoção, para que aquilo que tem estado bloqueado, possa ser processado e integrado.


Aquilo que chamo de Integração Emocional, é este processo de resgatar aquelas partes nossas que ficaram perdidas no tempo, de forma a nos sentirmos mais preenchidos, mais completos, enraizados e empoderados


Nas sessões com os meus clientes, tudo isto é realizado ao ritmo de cada um. Caso estejas curioso ou curiosa com o que podes esperar, dá uma olhada ao programa de 60 dias de transformação, Reconexão.


Resumindo, para conseguirmos expressar mais facilmente o nosso mundo emocional, é necessário deixarmos de fugir e de rejeitá-lo, e ter a coragem e habilidade de começar a olhar para o nosso mundo interno, processar o que necessita de ser processado, para que dessa forma nos consigamos expressar naturalmente e consigamos sentir liberdade emocional. Talvez este seja um dos melhores atos de amor que podemos fazer por nós.


Caso queiras ser guiado(a) nesta jornada, estou disponível para responder às questões que possas ter e guiar-te neste processo de transformação pessoal e emocional. Contacta-me aqui


4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page