O SOFRIMENTO É CRIADO. O AMOR...É!

Einstein dizia “Não podemos resolver os nossos problemas com a mesma mentalidade de quando os criámos”. Ao longo da nossa vida, todos nós, passamos por momentos difíceis. Momentos esses que por vezes, levam a muito sofrimento. Pode ser que neste momento estejamos nessa fase, ou estejamos já numa fase de superação. Se olharmos para trás, percebemos que, fomos capazes de ultrapassar muitas das situações difíceis que vivemos. Já o fizemos desde pequenos, quando tivemos a coragem de nos por de pé. A partir desse momento, mudámos a percepção que tínhamos do exterior. Começámos a experimentar o mundo, a aventurar-nos. Muitas vezes, caímos, mas a nossa curiosidade foi maior. Todos os momentos por

O PRAZER DA NOSSA COMPANHIA

Estar sozinho ainda é visto por muitos como algo desconfortável. Estamos habituados a estar com alguém, e no fundo isso vai criando algum grau de dependência, de apego. Vai correndo tudo bem, até ao momento que alguém sai da nossa vida. Vai correndo tudo bem, enquanto aquela pessoa vai compensando o vazio que muitas vezes sentimos. No momento em que as pessoas seguem caminhos diferentes, o vazio deixa de ser preenchido. Vamos então arranjar outra maneira de o preencher. Este momento, traz consigo uma oportunidade de mudança, de transformação. Em vez de fazermos como sempre fizemos, podemos experimentar fazer de forma diferente. Podemos experimentar, por exemplo, o prazer da nossa companhia.

REENCONTRO COM A TUA ESSÊNCIA

Quantas vezes sentiste que estás a ser observado? Quantas vezes estás a dançar e preocupado em fazer boa figura? Por vezes na tua mente surgem pensamentos “o que é que o outro está a pensar?” Quanto mais isso te preocupa, mais estás fora. Quanto mais preocupado estás com os outros, menos estás contigo. Estar em ti é sentires-te, é poderes exprimir toda a tua essência, sem julgamentos. Esses julgamentos, vêm principalmente de ti, daquilo que acreditas. Entras numa espiral de pensamentos compulsivos, e não vês a porta de saída. Para estares em ti, é importante primeiro tomares consciência de todas as proteções que utilizas para não te sentires, com medo do que está lá dentro. Pode ser difí

FLEXIBILIDADE EMOCIONAL

Quando somos crianças, a nossa espontaneidade incomoda o mundo dos adultos. É nessa altura que começamos a deixar de ser livres. Começamos a deixar de Ser, para nos condicionarmos em nome daquilo que “está correto”. Fazemos isso durante a vida toda, ou se entretanto despertarmos, podemos fazê-lo parte da nossa vida. Todas estas limitações, criam em nós sistemas de crenças bastante rígidos. Mais tarde perante uma determinada situação, defendemos aquilo que aprendemos “lá atrás”, com unhas e dentes, porque acreditamos que é a verdade. Mas mais do que alguém ousar questionar “a nossa verdade”, por vezes tocam em feridas que em alguma altura sentimos. Tudo isso faz com que, estejamos em reação a

Publicações em destaque
Arquivo
Publicações Recentes